"à procura, procura do vento. Porque a minha vontade tem o tamanho de uma lei da terra. Porque a minha força determina a passagem do tempo. Eu quero. Eu sou capaz de lançar um grito para dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo. Eu sou capaz de correr atrás desse grito, à sua velocidade, contra tudo o que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio. Eu quero. Eu sou capaz de expulsar o sol da minha pele, de vencê-lo mais uma vez e sempre.

Porque a minha vontade me regenera, faz-me nascer, renascer.
Porque a minha força é imortal."

terça-feira, 18 de outubro de 2011

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A Pão e Água

A Pão e Água, é assim que vamos ficar nos próximos tempos (se é que já não estamos...).
Assusta-me pensar como vão estar os hospitais no próximo ano, com mais casos sociais e com pessoas sem dinheiro para comprar medicamentos básicos.
Entristece-me, no primeiro ano em que recebo ordenado, não haver dinheirinho para férias, nem para prendas de Natal. Mas tenho consciência de que ainda sou uma privilegiada neste país (até quando?).

Se ao menos tudo isto fizesse com que nós nos uníssemos como pessoas que somos, se ao menos tudo isto nos devolvesse o contacto com quem realmente gostamos, se ao menos tudo isto fosse uma tempestade para a seguir ser uma bonança, se ao menos tudo isto nos tornasse menos supérfluos e mais em busca do essencial... Era bom... Mas passar por uma crise económica/financeira quando existe também uma crise valores põe-me apreensiva.
Vamos ver pessoas capazes de feitos extraordinários, vamos descobrir exemplos de vida, de altruísmo e vamos ver também o pior do ser humano, a luta pela sobrevivência nua e crua, onde impera a lei do mais forte, tal com Darwin apregoava.

Aqui estaremos todos, prontos para o que aí vem, com a consciência de que não será fácil, mas com uma consciência maior de que queremos muito prosperar, como pessoas, como país e como seres humanos.
Haja esperança, nas pessoas que ainda se emocionam, nas pessoas que não querem deixar morrer os valores e a dignidade, nas pessoas que não sentem que é "pecado" ter dinheiro para os pequenos prazeres da vida.

Haja esperança neste sol que só nós temos, neste mar azul, sem fim.
Haja esperança neste povo .

Haja esperança num futuro melhor, mesmo que tenhamos de cortar no pão e beber "água del cano".

De regresso ao estudo...

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

...

E ela ouviu e voltou a ouvir. Com a boca seca, sem conseguir proferir uma única palavra.
E pensou, no meio da (des)ilusão, como foi possível que aquela pessoa a tenha educado.
Depois, refletiu melhor. E concluiu, que talvez o seu esqueleto psíquico, ao contrário do que seria de esperar, tenha atingido a maturidade sem grande influência da parte dele. Presente, mas ausente.
E talvez por isso, ela, felizmente, se tenha transformado numa pessoa bem diferente, e melhor.

....

A inevitabilidade da vida ganha sentido quando aprendemos com ela.

...

Inspirou... Expirou... E foi estudar Taquiarritmias.
À noite, estará sentada no sofá, a comer amendoins e a beber uma cerveja. Futebol, tudo se resolve com um bom jogo de futebol, nem que seja apenas por 90 minutos.