"à procura, procura do vento. Porque a minha vontade tem o tamanho de uma lei da terra. Porque a minha força determina a passagem do tempo. Eu quero. Eu sou capaz de lançar um grito para dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo. Eu sou capaz de correr atrás desse grito, à sua velocidade, contra tudo o que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio. Eu quero. Eu sou capaz de expulsar o sol da minha pele, de vencê-lo mais uma vez e sempre.

Porque a minha vontade me regenera, faz-me nascer, renascer.
Porque a minha força é imortal."

domingo, 30 de maio de 2010

ENT - "Ear, Nose, Throat"


A estudar, talvez, o exame mais importante por aqui (importante porque, todos dizem, ser o mais difícil). Na realidade, todos são importantes porque todos têm de ser feitos, e é se quero entrar em Setembro no 6º ano.

Otorrinolaringologia (o raio da palavra é comprida, mas os ingleses simplificam para Otolaringology e, aqui, todos falam em ENT, muito simples...

Entre ouvido médio, interno, laringe, cordas vocais, faringe, seios perinasais, sinusites, adenoidites e umas coisas mais terminadas em "ites" como rinites, a que decorei logo foi a honeymoon rhinitis, ou seja, rinite de lua-de-mel.
Passo a explicar, a honeymoon rhinitis tem sintomas idênticos aos da rinite alérgica e é relativamente comum nos recém-casados em lua-de-mel, devido à excitação sexual. (É engraçado como a mente tem poder até nas rinites!!! A mente domina tudo ;))

 Outra coisa que sempre achei muito interessante foi a relação do sistema límbico (emoções) com o sistema olfativo. O olfato é o único sentido que tem relação tão íntima e directa com o sistema cerebral das emoções... Daí os odores serem tão importantes na memória afetiva de cada um... Depois há a teoria das feromonas e da escolha inconsciente dos parceiros sexuais pelo odor humano que mais agrada (mas isso já é demasiado redutor, há concerteza múltiplas e complexas variáveis na escolha de um par, e ainda bem...;))

Depois desta deambulação de ideias, numa pausa de estudo, deixo-vos um beijinho e desejo uma semana em grande.
Cheirem muito, saboreiem muito, oiçam boa música e gastem a vossa voz com pessoas que mereçam ouvi-la, que as cordas vocais também se cansam...
Ah, e este conselho também é para mim, bebam muita água (acho que faz bem a tudo!!!;)) 


domingo, 23 de maio de 2010

O Amor virá! Sérvia e Bósnia...

Foi, sem dúvida, uma das viagens que mais me marcou, neste ano Erasmus. Pela guerra tão recente, pelas feridas que ainda não sararam, e que talvez fiquem abertas para sempre...
E por estarmos em plena Europa...

Uma noite em Belgrado, na Sérvia, que ainda não reconheceu a independência do Kosovo e que, por isso, ainda se encontra em conflito.
Confesso que os meus preconceitos se dissiparam um pouco,  o povo sérvio revelou-se aberto aos turistas ocidentais, simpático, prestável, com um olhar que me fez sentir compaixão.





Belgrado - Uma das maiores igrejas ortodoxas do mundo ( a maioria dos sérvios é cristão ortodoxo)

Belgrado - os edifícios cinzentos que nos fazem lembrar o antigamente...

Belgrado - alguns edifícios bem preservados na baixa da cidade


Duas noites em Sarajevo, Bósnia Herzegovina.
Pelo peso histórico da cidade, por me recordar de ver imagens da guerra da Bósnia na televisão, por todas as atrocidades que se cometeram, por termos enviado uma força Portuguesa de Paz para a região, por ainda termos cerca de 50 militares na região, senti uma forte carga emotiva, nesta cidade.
Sarajevo foi completamente destruída durante a guerra da Bósnia, edifícios como a Biblioteca Nacional, o Hospital, várias mesquitas da cidade ficaram reduzidos a pó.
Impressionante foi constatar a rapidez com que a cidade foi reconstruída, tendo mais edifícios modernos do que Belgrado. Contudo, permanecem alguns prédios com marcas de balas, onde actualmente vivem pessoas, e outros "prédios fantasma" que ainda não foram deitados abaixo para serem reconstruídos...isso é deveras arrepiante...

A guerra da Bósnia veio mostrar, uma vez mais, a intolerância que os seres humanos têm com a diferença.
Se quiserem ler mais sobre a guerra da Bósnia:http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_da_B%C3%B3snia

Envolveu os três grupos étnicos e religiosos da região: os sérvios cristãos ortodoxos, os croatas católicos romanos e os bósnios muçulmanos. É o conflito mais prolongado e violento da Europa desde o fim da II Guerra Mundial, com duração de 1.606 dias. A guerra durou pouco mais de três anos e causou cerca de 200.000 vítimas entre civis e militares e 1,8 milhões de deslocados, de acordo com relatórios recentes. Do total de 97.207 vítimas documentadas, 65% eram muçulmanos bósnios, 25% sérvios e 8% croatas. Entre as vítimas civis, 83% eram bosníacos, 10% sérvios e mais de 5% eram croatas, seguido por um pequeno número de outros, como os albaneses ou povo Romani. 
Pelo menos 30% das vítimas civis bósnias eram mulheres e crianças.

Actualmente, o governo Bósnio é uma república presencialista com um representante bósnio muçulmano, um croata e um sérvio.
Sarajevo reaprendeu a viver na diferença, e é , curiosamente, isso que torna a cidade, do meu ponto de vista, tão especial. Olhamos e vemos mesquitas com os seus minaretes, igrejas católicas e ortodoxas. Há cemitérios para as 3 confissões religiosas separadamente e até para os comunistas (isto foi dito por um bósnio e eu achei piada).
Também me foi dito em Sarajevo: "Só há dois tipos de Homens: os bons ou os maus, o resto pouco interessa". 
Ficam as imagens de Sarajevo, com uma surpresa tão especial...

Um dos maiores hotéis de Sarajevo, foi completamente destruído durante a guerra.

 Uma das muitas mesquitas da cidade

Um dos mais recentes centros comerciais da cidade

Contraste: Prédios modernos, com prédio em ruínas do tempo da guerra

Jogo de xadrez em plena rua (faz lembrar o jogo da  malha nas nossas aldeias, não faz?;))

 Baixa de Sarajevo: cheia de esplanadas e de cafés muito acolhedores, mesmo em dia de chuva

Mais baixa, lá ao fundo, bem pequeno, mais um minarete

Universidade

Vestígios de guerra ainda não apagados

Vista de Sarajevo, entre as montanhas

Marcas de tiros em prédios de habitação...

Local histórico: o acontecimento que deu início à 1ª Guerra Mundial

A surpresa final...

E o fabuloso concerto... O profissionalismo... Os bósnios a aplaudirem de pé... E o Orgulho!...


Por fim, fica uma música dos U2 com o Pavarotti. O vídeo está em Português do Brasil, mas explica o propósito da música. As imagens são chocantes para pessoas mais sensíveis.





Um beijinho doce.
Sejam Felizes!

terça-feira, 18 de maio de 2010

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Fiquem bem!

Desejo a todos os que me visitam um Sábado maravilhoso e um Domingo ainda melhor.
Fica o meu beijinho especial para a Natália.
Fiquem bem! ;)

sábado, 8 de maio de 2010

A lição de vida dos mortos...


O meu fim-de-semana vai ser passado a estudar Forense (com um interregno para ver o jogo do Benfica), tenho exame na Quarta.
É engraçado como sempre gostei de ver séries policiais, mesmo em miúda, mas depois ficava cheia de medo. Ainda hoje gosto de um bom filme carregado de suspense, mas tem de ser bem feito.

Agora é mais sério, quando realmente vemos os mortos à nossa frente. Aprende-se a lidar com isso, confesso que pensei que me fizesse mais impressão. Cada um deles teve a sua história e isso faz pensar, e exige respeito por aquele corpo que já foi pessoa.
Vi muitos cadáveres este ano, muitos mais do que veria, possivelmente, em Portugal (parece que não se morre por lá). E até pode parecer mórbido, mas o interesse que existe nestes médicos é o de saber a causa da morte, a fim de dar alguma Paz a quem fica, e para que seja feita justiça.
O objectivo é nobre.
Entre os que vi, existem muitos suicídios: A Hungria é dos países da UE com maior taxa de suicídio - penso que deve ser uma conjunção de factores sociais com a forma de ser dos húngaros - no geral, são muito carrancudos e depressivos.

"O suicídio é um trágico problema de saúde pública em todo o mundo. Ocorrem mais mortes por suicídio que por homicídios e guerras juntos. É preciso adotar com urgência em todo o mundo medidas coordenadas e mais enérgicas para evitar esse número desnecessário de vítimas", afirma Catherine Le Galès-Camus, subdiretora geral da OMS para Enfermidades Não-Transmissíveis e Saúde Mental.

Lembro-me também de um jovem nascido em 1988 (portanto, mais novo do que eu) que, ironicamente, morreu atropelado por um carro, estava a andar de bicicleta à noite, sem colete refletor. Não há palavras para tamanho absurdo.

Os húngaros têm uma boa medicina forense porque se habituaram, infelizmente, a ser chamados para avaliar os crimes ligados às máfias de leste (que ainda existem) e, também, porque contribuíram para a investigação de determinados crimes violentos, como os da ex-Jugoslávia.

Falar de morte, no mundo ocidental, ainda é considerado tabú. Desde pequeninos que aprendemos, devido à nossa cultura, a ter medo dos mortos, como se eles se fossem levantar e fazer-nos mal.
A verdade é que os mortos não fazem mal a ninguém. Não há nada mais sem vida do que um morto.
Os vivos, sim, são os maiores responsáveis pelas dores uns dos outros...
E aí é que está a questão...
Ao olhar para mortos que não são os "nossos" mortos, sente-se a vulnerabilidade da nossa vida. E ao conhecer a história da morte de cada um, sente-se a imprevisibildade do estado que é viver... Às vezes, erradamente, achamos que temos tudo sobre controlo, quando tudo é completamente sem controlo...
Assim, a lição que os mortos nos dão é uma lição de vida...
É como se segredassem, tal como no fabuloso filme O Clube dos Poetas Mortos, aproveitem o dia!
Tornem o vosso dia extraordinário!
Sejam Felizes e façam os outros Felizes!

Algo que podia ser tão simples, não é?
Um beijinho enorme para todos...

quarta-feira, 5 de maio de 2010

SÓ POR ISSO, MÃE!

Porque o dia da mãe é todos os dias, aqui fica, para a Mulher mais importante da minha vida, com um beijinho...
E para todas as mães que conheço e admiro, e para todas as mães que por aqui passam...



SÓ POR ISSO, MÃE
 
Mesmo que a noite esteja escura,
Ou por isso,
Quero acender a minha estrela.

Mesmo que o mar esteja morto,
Ou por isso,
Quero enfunar a minha vela.

Mesmo que a vida esteja nua,
Ou por isso,
Quero vestir-lhe o meu poema.

Só porque tu existes,
Vale a pena! 


Lopes Morgado, Mulher Mãe


Sejam Felizes!